A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Hélio Souto


Um dos principais atores brasileiros ao longo de diversas gerações, trabalhou em cinema, teatro e televisão, e participou de várias minisséries e novelas. Nasceu no Rio de Janeiro e foi ainda jovem para São Paulo, onde atuou como mocinho nos principais filmes da década de 50. Hélio era um galã no melhor estilo do homem alto, forte, machão, namorador e bom de briga, fama cultivada no decorrer de uma carreira que remonta aos tempos do Teatro Universitário do Rio de Janeiro. Ele dedicou a maior parte de sua vida à televisão e ao cinema. No começo da televisão no Brasil, nos anos 50, integrou o elenco da extinta Rede Tupi e, posteriormente, da TV Excelsior. Pelo porte atlético, Souto chegou a receber o apelido de Galã Vitamina.

Na década de 60, se transformou no principal galã das primeiras telenovelas. Era capa das principais revistas, numa época em que se destacavam apenas as mulheres bonitas. Tudo pelo impacto causado pela novela "A Moça que Veio de Longe", um estouro de audiência de TV Excelsior em todo o Brasil, da autoria de Ivani Ribeiro. Souto não podia mais andar livremente pelas ruas e cerca de 50 mil pessoas se reuniram no Pacaembu só para ver o elenco da novela que marcou a história da TV e lançou muita gente ao estrelato. Certa vez, o galã se abrigou no Parque Balneário de Santos, em fuga de uma multidão e fãs exaltadas. Após a juventude, conservou o charme e sustentou a persona de galã maduro, fazendo sucesso em pornochanchadas como "Viúvas Precisam de Consolo" e em novelas cômicas como "Guerra dos Sexos" e "Brega e Chique".

Ao transferir-se para a Rede Globo, Hélio participou de diversas produções, como no papel de Nenê Gomalina, em "Guerra dos Sexos", e também em "Locomotivas" e "A Grande Mentira". O ator estreou nas telas em 1950, no filme "Garota Mineira", e, em 1952, participou de "Destino em Apuros", primeiro filme colorido do cinema brasileiro. Entre seus casamentos, o primeiro foi com a milionária Maria Helena Morganti e durou 22 anos. Com Mara Cedro, o último, teve dois filhos. Nos anos 70, Hélio retornou ao cinema, sem abandonar a televisão. O último trabalho dele na TV foi na minissérie "Memorial de Maria Moura", exibida na Globo em maio de 1994. Hélio manteve sempre um pé no teatro. Nos anos 80, chegou a fazer uma peça que levava seu próprio nome: "Hélio Souto, Eu Te Amo", na qual aparecia em um provocativo nu frontal. Já afastado do meio artístico, Hélio Souto faleceu vitimado por um infarto, em Atibaia, aos 72 anos, em 5 de outubro de 2001.


Filmografia
                                                                                       Lilian Lemmertz e Hélio Souto em "O Tempo Não Apaga",
                                                                                       novela de Amaral Gurgel (TV Record, 1972)
1950: Garota Mineira
1951: O Comprador de Fazendas
1952: Luzes nas Sombras
1952: Destino em Apuros
1952: O Homem dos Papagaios
1953: Agulha no Palheiro
1955: Armas da Vingança
1955: Três Garimpeiros
1957: Dioguinho
1959: Fronteiras do Inferno
1960: Conceição
1963: Noites Quentes de Copacabana (Mord in Rio)
1963: O Cabeleira
1972: Os Desclassificados
1976: Bacalhau
1976: A Noite da Fêmeas
1976: Já Não Se Faz Amor como Antigamente
1978: Mulher Desejada
1979: O Cinderelo Trapalhão
1979: Desejo Selvagem
1980: Noite de Orgia
1980: Motel, Refúgio do Amor 1981: Pecado Horizontal
1981: Mulher Objeto
1982: Um Casal de 3/Carícias Eróticas
1987: Sonhos de Menina Moça

Teledramaturgia
1952: Helena
1964: A Moça que Veio de Longe .... Raul
1964: É Proibido Amar .... Sérgio
1965: O Mestiço .... Renato
1965: Olhos que Amei .... Vladimir
1965: Pecado de Mulher
1965: Um Rosto Perdido .... David
1966: A Inimiga .... Ricardo
1966: A Ré Misteriosa .... Marcelo
1966: Os Irmãos Corsos .... Luciano / Mauro
1967: A Intrusa .... Bill
1967: A Ponte de Waterloo .... Roy
1967: Sublime Amor .... César
1968: A Grande Mentira .... Renato
1969: Super Plá .... Baby Stompanato
1971: A Fábrica .... Pádua
1972: O Tempo não Apaga .... Raul
1973: Vendaval .... Alfredo
1973: Vidas Marcadas
1977: Locomotivas .... Tião
1977: O Espantalho .... dr. Munhoz
1978: Salário Mínimo .... Lincoln
1978: Te Contei? .... Pedro
1979: Como Salvar Meu Casamento .... Mário
1980: Dulcinéa Vai à Guerra .... Mateus Sampaio Godói
1982: A Filha do Silêncio .... Gregório
1982: Nem Rebeldes, nem Fiéis
1983: Acorrentada .... Carlos
1983: Guerra dos Sexos .... Nenê Gomalina
1985: Meus Filhos, Minha Vida
1985: Uma Esperança no Ar
1987: Brega & Chique .... Amadeu Correia
1988: Olho por Olho .... Valdemar Sampaio
1990: A História de Ana Raio e Zé Trovão .... Bruno
1990: La Mamma .... Manfredão
1991: Floradas na Serra .... dr. Jaime Freire
1991: O Fantasma da Ópera .... Gastão Andreatti
1994: Memorial de Maria Moura .... Hércules
1998: Serras Azuis .... Reginaldo Paiva


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •
Hélio Souto em "Agulha no Palheiro" (1953), direção de Alex Viany
Hélio Souto e Aurora Duarte em "Fronteiras do Inferno" (1958), direção de Walter Hugo Khouri
Hélio Souto em "Desejo Selvagem" (1979), direção de David Cardoso