A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Henriqueta Brieba


Veterana atriz do teatro, cinema e televisão brasileiros, tornou-se famosa na década de 80 ao interpretar a mãe de Bo Francineide, uma atriz de pornochanchadas que andava sempre acompanhada de sua "Pornô-Mãe", personagem de Jô Soares no programa "Viva o Gordo". Nascida em Barcelona, na Espanha, aos quatro anos Henriqueta já atuava no teatro e, aos 16, imigrou para o Brasil, acompanhando os pais nas apresentações do grupo teatral de que faziam parte, e bem jovem começou a atuar nos palcos. Atriz de amplos recursos e comediante nata participou de várias companhias de teatro e não abandonou o palco até o fim da vida. Atuou no Brasil durante setenta e seis anos. Depois de passar por Belém, Manaus, Recife e Salvador, estabeleceu-se no Rio de Janeiro na década de 1920, onde começou a trabalhar no teatro de revista.

Brieba e Elza Gomes foram as primeiras a participar do teatro de revistas no Rio de Janeiro. Seu primeiro papel de destaque em novela foi em "Assim na Terra como no Céu" de Dias Gomes, em 1970, antes porém fez uma participação pequena em "A Grande Mentira", mas foi a partir de 1975, com "A Moreninha", que ela se tornou uma figura conhecida do grande público e intensificou sua participação na televisão. Brieba conquistou o sucesso com sua participação em novelas da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Seu último trabalho foi no palco, ao atuar da comédia "Por Falta de Roupa Nova, Passei o Ferro na Velha", em 1993.

Nas telas, atuou em "Toda Nudez Será Castigada", de Arnaldo Jabor (1973, ao lado de Darlene Glória) e "A Mulata que Queria Pecar" (1977). Estreou no cinema em 1944 em "Romance de Um Mordedor", de José Carlos Burle, e prosseguiu fazendo atuações esporádicas até a década de 1960. Em 1969, Henriqueta Brieba atuou em "A Penúltima Donzela" comédia de costumes de grande sucesso, uma das precursoras das pornochanchadas. Na década de 1970, ela é presença constante nas telas do cinema. Somente nessa década, a atriz atuou em 33 filmes, inclusive em dois dos maiores sucessos do cinema nacional, as comédias de Pedro Carlos Róvai, "Ainda Agarro Essa Vizinha", de 1974 e "A Viúva Virgem", 1972.

A atriz atuou com diretores de vários estilos, como Reginaldo Faria, Carlos Imperial, Victor di Mello, Braz Chediak, Luís Sérgio Person, Jece Valadão, Carlo Mossy, Fauzi Mansur, Miguel Borges e Hugo Carvana, e explorou os gêneros musical, revista, comédia, drama. Veio do teatro o unico prêmio de sua carreira: um Molière de melhor atriz por "Caixa de Sombras" (1977), de Michael Christofer. A respeito desta conquista, declarou em entrevista: "Não cantei, não dancei, não sapateei. Ganhei o Molière da goela para cima, com um personagem que vivia numa cadeira de rodas. O que valeu foi a interpretação". Frase famosa: "A vantagem de ter nascido em 1901 é que o século XX estará sempre correndo atrás de mim, em vez de eu ficar correndo atrás dele". Henriqueta Brieba faleceu de infecção pulmonar aguda, aos 94 anos, em 18 de setembro de 1995.


Filmografia
1945: Romance de Um Mordedor
1958: O Batedor de Carteiras
1958: Hoje o Galo Sou Eu
1960: Samba em Brasília
1969: A Penúltima Donzela
1970: O Bolão
1970: O Enterro da Cafetina
1970: Pra Quem Fica, Tchau
1970: Uma Garota em Maus Lençóis
1970: Ascensão e Queda de uma Paquera
1971: O Barão Otelo no Barato dos Milhões
1971: Os Caras de Pau
1971: Procura-se uma Virgem
1972: O Azarento
1972: Cassy Jones, o Magnífico Sedutor
1972: Com a Cama na Cabeça
1972: O Grande Gozador
1972: A Viúva Virgem
1973: A Filha de Madame Bettina
1973: Toda Nudez Será Castigada
1974: Ainda Agarro Esta Vizinha)
1974: Banana Mecânica
1974: O Sexo das Bonecas
1974: Uma Tarde Outra Tarde
1975: Com as Calças na Mão
1975: Eu Dou O Que Ela Gosta
1975: As Loucuras de um Sedutor
1975: Quando as Mulheres Querem Provas
1975: O Roubo das Calcinhas
1975: Um Soutien Para Papai
1976: O Varão de Ipanema
1977: Manicures a Domicílio
1977: A Mulata que Queria Pecar
1978: Se Segura, Malandro
1980: O Inseto do Amor
1983: O Rei da Vela
1984: Para Viver Um Grande Amor
1989: Super Xuxa Contra o Baixo Astral 

Teledramaturgia
1968: A Grande Mentira
1970: Assim na Terra como no Céu - Tia Coló
1971: Bandeira 2 - Filó
1972: Uma Rosa com Amor - Pepa
1973: Os Ossos do Barão - Lucrécia
1975: Escalada - Vó Dita
1975: A Moreninha - Donana
1976: Anjo Mau - Carolina
1976: Estúpido Cupido - Mãe de Olga
1980: Chega Mais - Candida
1981: Ciranda de Pedra - Ana Dória
1981: Jogo da Vida
1982: Paraíso - Dona Ida
1983: Viva o Gordo - Pornô-mãe
1983: Guerra dos Sexos - Berenice Vasconcelos
1983: Champagne - Luizinha
1985: Um Sonho a Mais - Dona Guiomar
1986: Cambalacho - Ubiratânia
1987: Sassaricando - Falecida avó de Dinalda
1988: O Primo Basílio - Dona Rita
1989: Que Rei Sou Eu? (participação especial)
1990: Gente Fina (participação especial)
1990: Meu Bem, Meu Mal - (participação especial)
1991: Escolinha do Professor Raimundo - Participação como a mãe de D. Cacilda
1993: O Mapa da Mina - velhinha amiga de Zilda


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •