A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z


Cineasta sueco de fama mundial, nascido no dia 14 de julho de 1918, em Uppsala, entre seus trabalhos estão os célebres "Morangos Silvestres" (1957), "O Sétimo Selo" (1957), "Gritos e Sussurros" (1972), "A Flauta Mágica" (1975), "O Ovo da Serpente" (1978) e "Fanny e Alexander" (1982). Em sua longa cinematografia (que ultrapassa os 50 filmes), Bergman foi mestre em levar às telas temas existencialistas. Ao todo, ganhou sete prêmios no Festival de Cannes e dois no de Berlim. Seu último filme como diretor foi "Saraband", rodado inicialmente para a TV. O longa, estrelado por Erland Josephson e Liv Ullman, retoma os personagens de "Cenas de um Casamento" (1973).

A obra de Ingmar Bergman compõe um dos mais ricos e essenciais capítulos da história do cinema. Como poucos, o diretor se apropriou da linguagem para realizar um conjunto significativo que transcende a própria experiência cinematográfica. Abordando temas intrínsecos à existência humana, como desejo, morte e religiosidade, o cineasta rompeu as fronteiras do cinema sueco e atingiu a universalidade.

A relação de Bergman com o cinema antecede seu trabalho como profissional. Antes de estrear na tela, já havia descoberto o cinema como forma de expressão e até de sobrevivência. Aos 9 anos, no natal de 1927, não resistiu à tentação de ver o irmão presenteado com um projetor e sugeriu uma barganha definitiva para o futuro de sua vida: trocou um exército de chumbo pelo cinematógrafo.

Filho de pastor luterano, amargou uma criação autoritária, baseada em conceitos relacionados ao pecado, confissão, castigo, perdão e indulgência. Em sua autobiografia, "Lanterna Mágica", Bergman faz relatos impressionantes. Sempre que contava uma mentira recebia castigos constrangedores, como desfilar vestido de menina ou ser trancafiado num armário. Nesse período que vivencia sentimentos como vergonha ou humilhação, são explorados em seus filmes.

A iniciação profissional do diretor se deu através de um dos patriarcas do cinema sueco, Victor Sjostrom, homenageado em "Morangos Silvestres", em que Sjostrom interpreta o protagonista que perde a noção da memória face à iminência da morte.

Bergman era também dramaturgo. Sobre as duas artes, afirmou: "O teatro é o começo, o fim, é tudo, enquanto o cinema pertence ao âmbito da prostituição". O diretor nasceu no dia 14 de julho de 1918 em Uppsala, ao norte de Estocolmo, filho de um pastor protestante. Foi educado de maneira severa e austera. Essa formação religiosa marcou seu caráter. Estudou na Universidade de Estocolmo e aprendeu a arte da direção com um grupo de teatro estudantil, levando para a tela grande obras de Strindberg e Shakespeare. A partir de 1944, dividiu o teatro com o cinema. Bergman estreou nas telas como roteirista, e seus primeiros trabalhos foram "Tormento" (1944) e "Crise" (1945).

Em 1976, Bergman foi viver na Alemanha devido a problemas com o fisco sueco e em seguida estreou "O Ovo da Serpente", sobre a ascensão do Nazismo. De volta à Suécia, filmou "Fanny e Alexander", uma obra sobre sua infância e sobre sua paixão pelo espetáculo que recebeu quatro Oscars. Comandante da Legião de Honra, membro da Academia de Letras da Suécia e reputado dramaturgo, Bergman revelou sua vida privada e profissional nos livros "Lanterna Mágica" (1987), "Imagens" (1993) e "Crianças de Domingo" (1994), adaptado para as telas por seu filho Daniel. Casado cinco vezes, Bergman teve nove filhos. Ingmar Bergman faleceu aos 89 anos, em 30 de julho de 2007.


Filmografia
1946: Crise (Kris)
1946: Chove Sobre Nosso Amor (Det regnar på vår kärlek)
1948: Música na Noite (Musik i mörker)
1948: Porto (Hamnstad)
1948: A Mulher e a Tentação (Eva)
1949: Sede de Paixões (Törst)
1949: Prisão (Fängelse)
1950: Isto Não Aconteceria Aqui (Sånt händer inte här)
1950: Rumo à Alegria (Till Glädje)
1951: Juventude, Divino Tesouro (Sommarlek)
1952: Quando as Mulheres Esperam (Kvinnors Väntan)
1953: Monika e o Desejo (Sommaren med Monika)
1953: Noites de Circo (Gycklarnas afton)
1954: Uma Lição de Amor (En lektion i kärlek)
1955: Sonhos de Mulheres (Kvinnodröm)
1955: Sorrisos de Uma Noite de Amor (Sommarnattens leende)
1956: O Sétimo Selo (Det Sjunde Inseglet)
1957: Morangos Silvestres (Smultronstället)
1958: No Limiar da Vida (Nära Livet)
1958: O Rosto (Ansiktet)
1960: O Olho do Diabo (Djävulens Öga)
1960: A Fonte da Donzela (Jungfrukällan)
1961: Através de um Espelho (Såsom i en spegel)
1963: Luz de Inverno (Nattvardsgästerna)
1963: O Silêncio (Tystnaden)
1964: Para Não Falar de Todas as Mulheres (För att inte tala om alla dessa kvinnor)
1966: A Hora do Lobo (Vargtimmen)
1966: Quando Duas Mulheres Pecam (Persona)
1968: Vergonha (Skammen)
1969: A Paixão de Ana (En passion)
1970: A Hora do Amor (The Touch/Beröringen)
1972: Gritos e Sussurros (Viskningar Och Rop)
1973: Cenas de Um Casamento (Scener Ur Ett Äktenskap)
1975: A Flauta Mágica (Trollflöjten)
1976: Face a Face (Ansikte mot ansikte)
1978: O Ovo da Serpente (The Serpent's Egg)
1978: Sonata de Outono (Autumn Sonata/Hörstsonat)
1980: Da Vida das Marionetes (Aus dem Leben der Marionetten)
1982: Fanny & Alexander (Fanny and Alexander)
1984: Depois do Ensaio (Efter Repetitionen)
2003: Saraband (idem)


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
Ingmar Bergman
  Se você gostou, compartilhe esta página no Facebook
• fechar janela •