A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z


Atriz sueca nascida em Estocolmo no dia 29 de agosto de 1915, cujo talento transformou-a num dos mitos de Hollywood, chegando a participar de 52 filmes, sendo quatro para a televisão. Nos palcos, atuou nas principais capitais da Europa e na Broadway, num total de 48 peças. Frequentou a Academia de Arte Dramática e o Liceum for Flickor em sua terra natal e estreou no cinema em 1934, em "O Conde de Munkbro" (Munkbrogreven). Participou de mais nove produções na Suécia e, devido ao extraordinário sucesso, foi convidada a atuar em Hollywood.

Desde criança Ingrid nutria a vontade de ser atriz e aos 17 anos de idade, surgiu a sua primeira chance de realizar o seu sonho inscrevendo-se num concurso promovido pela Royal Dramatic Theatre em Estocolmo. Ela foi aprovada e recebeu uma bolsa patrocinada pelo Estado e estudar na Royal Dramatic Theatre School, onde anos antes Greta Garbo também havia ganhado uma bolsa similar.

Depois de um ano na escola, Ingrid começou a atuar em alguns filmes suecos, geralmente como figurante e aos poucos foi conseguindo melhores colocações, assim como ter uma atuação mais efetiva nos filmes. Entre esses filmes destacam-se “Landskamp”, “Em kvinnas ansikte” e um filme na Alemanha chamada “Dier vier Gesellen” em 1938, e por essa época já era uma artista conhecida em seu país.

A sua atuação nestes filmes acabou chamando a atenção de outros diretores e produtores e em 1939, Ingrid chegava aos Estados Unidos, especificamente em Hollywood a convite do famoso produtor David O. Selznick, para refilmar a produção sueca "Intermezzo" de 1936, sob a direção de Gustaf Molander e onde Ingrid interpretava o papel de Anita Hoffman. Nesta época Ingrid já estava casada com Petter e também tinha uma filha chamada Pia que ficaram na Suécia.

Nessa época, ao apresentar-se ao todo poderoso David Selznick - que produzia na ocasião "...E o Vento Levou" - foi dizendo não às propostas para que mudasse seu nome sueco, redesenhasse as sobrancelhas e se preparasse para ser lançada na América sob um formidável esquema publicitário. Selznick concordou: "Nada será tocado em você. Será a primeira atriz 'natural'".

A consagração veio em 1942 com "Casablanca", ao lado de Humphrey Bogart. Em 1948, estrelou uma produção gigantesca de 8,7 milhões de dólares, "Joana D'Arc" (Joan of Arc), tendo sido escolhida para o papel principal por seu ótimo desempenho em "Os Sinos de Santa Maria" (The Bells of St. Mary's, 1945). Apesar do sucesso da montagem na Broadway com a mesma atriz, o filme não foi bem recebido pela crítica, que o considerou pretencioso e sem conteúdo. Bergman ganhou seu primeiro Oscar de melhor atriz em 1944 com o filme "À Meia Luz" (Gaslight), o segundo em 1956 com "Anastácia, a Princesa Esquecida" (Anastasia) e o terceiro, de melhor atriz coadjuvante, já na década de 70 com "Assassinato no Orient Express" (Murder on the Orient Express), em 1974.

Howard Hughes chegou a comprar os estúdios da RKO apenas para lhe fazer um presente, que a atriz recusou. A estrela era capaz de recusar contratos de 250.000 dólares, mais a participação de 25% na bilheteria de um filme, simplesmente porque não gostava de um papel. Certa vez, ameaçou nunca mais voltar a Washington enquanto não fosse abolida uma lei racista que proibia os negros de entrar num teatro onde se apresentava. Em 1982, fez uma minissérie para a TV, Golda Meir (A Woman Called Golda), valendo-lhe o prêmio Emmy por seu desempenho e falecendo em seguida.

Em 1949,a estrela foi à ilha de Stromboli, na Sicília, fazer um filme com Roberto Rosselini ("Stromboli", 1950) e depois teve um tórrido caso de amor com o cineasta, abandonando o marido Petter Lindstrom, a filha Pia e a carreira em Hollywood. Foi duramente criticada pela imprensa e sua imagem acabou irremediavelmente abalada. O público americano simplesmente não a perdoou pelos 16 anos seguintes. Na época, o governo da ilha colocou uma placa na igreja local com os seguintes dizeres: "Divina atriz, você veio à nossa presença nesta ilha. Em você, Rosselini se inspirou". Depois, a placa apareceu destruída por algum vândalo, provavelmente escandalizado com o casal.

Ingrid Bergman morreu em paz com os Estados Unidos, país que a forçou a sair de seu território por causa de um romance escandaloso em 1950, de acordo com Isabella Rossellini, a filha da atriz sueca. Seu caso de amor com o cineasta italiano enquanto ambos ainda estavam casados ??provocou indignação nos Estados Unidos, tendo até mesmo um senador declarado que ela era "uma poderosa influência para o mal".

Em 1949 eles fizeram um primeiro filme juntos, "Stromboli", e eles se apaixonaram e Ingrid ficou grávida de Roberto, antes que pudesse obter o divórcio. Isso criou um grande escândalo e ela foi forçada a deixar os Estados Unidos porque sentiram que os estrangeiros e as estrelas vão para os Estados Unidos e depois se comportam de forma imoral, e são maus exemplos para as gerações mais jovens.

Roberto Rosselini e Ingrid Bergman casaram-se e tiveram um menino e duas meninas gêmeas. Depois, separaram-se e ela casou-se mais uma vez, com o sueco Lars Schmidt. Em 1982, era lançado no Brasil sua biografia, "Ingrid Bergman - História de uma Vida". A estrela faleceu vítima de um câncer de mama, aos 67 anos, em 29 de agosto de 1982.

Veja mais fotos de Ingrid Bergman: 01 | 02


Filmografia
1934: O Conde de Munkbro (Munkbrogreven)
1935: O Grande Pecado (Valborgsmässoafton)
1936: Intermezzo (primeira versão, sueco)
1938: Dollar (idem)
1938: A Mulher que Vendeu a Alma (En Kvinnas ansikte)
1939: Esta Noite Contigo (En enda natt)
1939: Intermezzo - Uma História de Amor (Intermezzo, a Love Story - segunda versão).....Mais informações
1939: Uma Noite em Junho (June Night)
1941: O Médico e o Monstro (Dr. Jekyll and Mr. Hyde).....Mais informações
1941: Fúria no Céu (Rage in Heaven)
1941: Os Quatro Filhos de Adão (Adam Had Four Sons)
1942: Casablanca (idem).....Mais informações
1943: Por Quem os Sinos Dobram (For Whom the Bell Tolls).....Mais informações
1944: À Meia Luz (Gaslight).....Mais informações
1945: Os Sinos de Santa Maria (The Bells of St. Mary's).....Mais informações
1945: Quando Fala o Coração (Spellbound).....Mais informações
1945: Mulher Exótica (Saratoga Trunk)
1946: Interlúdio (Notorious).....Mais informações
1948: O Arco do Triunfo (Arch of Triumph)
1948: Joana D'Arc (Joan of Arc)
1949: Sob o Signo de Capricórnio (Under Capricorn)
1950: Stromboli (idem)
1951: Europa 51 (Europa '51)
1952: Nós, as Mulheres (Siamo Donne)
1954: O Medo (La Paura)
1954: Joana D’Arc de Rossellini (Giovanna d'Arco al Rogo).....Mais informações
1954: Romance na Itália (Viaggio in Itália)
1956: Anastácia, a Princesa Esquecida (Anastasia).....Mais informações
1957: As Estranhas Coisas de Paris (Elena et les Hommes).....Mais informações
1958: Indiscreta (Indiscreet).....Mais informações
1958: A Morada da Sexta Felicidade (The Inn of the Sixth Happiness)
1961: Mais uma Vez, Adeus (Aimez-Vous Brahms?).....Mais informações
1964: A Visita (The Visit).....Mais informações
1965: O Rolls-Royce Amarelo (The Yellow Rolls-Royce).....Mais informações)
1969: Flor de Cacto (Cactus Flower).....Mais informações
1970: Caminhando sob a Chuva de Primavera (A Walk in the Spring Rain).....Mais informações
1973: A Aventura da Descoberta (The Hideaways)
1973: O Mistério dos Anjos (From the Mixed-Up Files of Mrs. Basil E. Frankweiler)
1974: Assassinato no Orient Express (Murder on the Orient Express).....Mais informações
1976: Nina, Questão de Tempo (A Matter of Time).....Mais informações
1978: Sonata de Outono (Autumm Sonata)
1982: Golda (A Woman Called Golda) - TV


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
Ingrid Bergman
  Se você gostou, compartilhe esta página no Facebook
• fechar janela •