A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Ingrid Thulin


Atriz do cinema sueco, celebrizada mundialmente por sua participação em Morangos Silvestres (1957), no papel de Marianne. Uma das atrizes mais carismáticas do diretor Ingmar Bergman, atuou em "No Limiar da Vida" (1958), "O Rosto" (idem), "Luz de Inverno" (1963), "O Silêncio" (1963), "A Hora do Lobo" (1968), "Gritos e Sussurros " (1972) ou "Depois do Ensaio" (1984), entre outros. Ao lado de Liv Ullmann e Bibi Andersson, Ingrid Thulin, formou o "triunvirato" de atrizes bergmanianas por excelência. Thulin sabia a importância que Bergman teve na sua vida profissional, e certa vez disse, numa entrevista ao The New York Times: "A minha carreira de atriz só começou verdadeiramente quando comecei a trabalhar com Ingmar".

Atriz com vasta percepção emotiva de seus personagens, Ingrid Thulin era uma beleza nórdica com um rosto de uma doçura distante, serenamente trágico, que se tornou a "imagem inesquecível da ansiedade que rodeia o mundo de Bergman", escreveu David Thomson no seu Biographical Dictionary of Film. Isto apesar de Harriet Andersson ter realçado "o seu incrível sentido de humor". Além de ser uma das intérpretes femininas preferidas de Bergman, Thulin também participou de alguns filmes em língua inglesa. O primeiro, e também o mais conhecido, foi a refilmagem de "Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse", realizado em 1962 por Vincente Minnelli, onde os seus diálogos acabaram por ser dublados por Angela Lansbury. Com a própria voz, atuaria em "De Volta às Cinzas" (1965, de J. Lee Thompson), "A Travessia de Cassandra" (1977, de George P. Cosmatos), "A Guerra Acabou", de Alain Resnais (1966) e "Os Deuses Malditos", de Luchino Visconti (1969).

Nascida em Solleftea, em 1929, Thulin estudou dança e depois arte dramática na Real Escola de Teatro de Estocolmo, e pantomima em Paris. Voltou a Estocolmo em 1948, começou a trabalhar com Ingmar Bergman no palco, ao mesmo tempo que dava os primeiros passos no cinema, mas a fama veio apenas em 1957, graças a "Morangos Silvestres". Um ano depois, dividiu o prêmio de Melhor Atriz em Cannes com Andersson e Eva Dahlbeck, por seu papel em "No Limiar da Vida". Foi casada por mais de 30 anos com Harry Schein, co-fundador do Instituto Sueco do Filme. Morava na Itália desde os anos 60 e lá participou de seu último filme, "La Casa del Sorriso", de Marco Ferreri, em 1988. Ingrid Thulin faleceu em Estocolmo, aos 77 anos, em 7 de janeiro de 2004.


Filmografia
1956: Tramas de Traição/Tramas e Traições (Foreign Intrigue).....Mais informações
1957: Morangos Silvestres (Smultronstället)
1958: No Limiar da Vida (Nära Livet)
1958: O Rosto (Ansiktet)
1962: Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse (Four Horsemen of the Apocalypse).....Mais informações
1963: O Silêncio (Tystnaden)
1963: Luz de Inverno (Nattvardsgästerna)
1965: De Volta às Cinzas (Return from the Ashes)
1966: A Guerra Acabou (La Guerre est Finie)
1966: A Hora do Lobo (Vargtimmen)
1968: O Último Tiro/Rio de Fogo (Firecreek)
1969: Os Deuses Malditos (The Damned).....Mais informações
1972: Gritos e Sussurros (Viskningar Och Rop)
1975: Moisés (Moses the Lawgiver)
1977: A Travessia de Cassandra (The Cassandra Crossing).....Mais informações
1984: Depois do Ensaio (Efter Repetitionen)


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •