A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

J. B. Tanko


Cineasta de origem iugoslava e naturalizado brasileiro, dirigiu mais de 48 filmes, entre eles, a série dos Trapalhões, como "Aladim e a Lâmpada Maravilhosa" (1974), "O Trapalhão na Ilha do Tesouro" (1975), "Simbad, o Marujo Trapalhão" (1976), "Os Trapalhões nas Minas do Rei Salomão" (1976), "Os Trapalhões no Planalto dos Macacos" (1976), "Os Saltimbancos Trapalhões" (1981), "Os Vagabundos Trapalhões" (1981), "Os Trapalhões na Serra Pelada" (1983) e "Os Fantasmas Trapalhões" (1987).

Josip Brogoslav Tanko nasceu na cidade de Sisak, na Croácia, e iniciou sua carreira na Alemanha, como tradutor de legendas. Depois de trabalhar em diversas funções na companhia cinematográfica alemã Alka, conseguiu ser assistente de direção do filme "Blutsbrüder" (1935). No mesmo ano faz mais dois filmes como assistente e e passa por diversas indústrias pioneiras alemãs de cinema, como a Astra e Casino Films. Em 1938, com a guerra, ele foge para a Áustria e chega ao Brasil em 1948. Consegue um lugar na Atlântida, onde faz roteiro e também a assistência de direção de "Escrava Isaura" (1949). Seu jeito para comédias agrada, e por isso faz roteiros de outras produções nacionais, como "O Pecado de Nina" (1950) e "Brumas da Vida" (1952).

Estreou como diretor em 1952, com "Areias Ardentes". Em 1956, com a criação de Herbert Richers, é contratado e dirige "Sai de Baixo" (1956), o primeiro filme do palhaço Carequinha. Faz diversos outros filmes no mesmo estúdio, como "Mulheres à Vista" (1957), "Marido de Mulher Boa" (1960) e "Um Ramo Para Luiza" (1965). Filmou peças de Nelson Rodrigues ("Asfalto Selvagem", 1964, e "Engraçadinha Depois dos Trinta", 1966). Em 1967, J. B. Tanko teve seu nome ligado ao cinema infanto-juvenil depois de conhecer Renato Aragão, que dirigiu em "Adorável Trapalhão". A união foi fundamental para impulsionar a carreira dos Trapalhões e da J. B. Tanko Filmes, a partir do lançamento de "Aladim e a Lâmpada Maravilhosa" (1973).

J. B. Tanko fez também "A Outra Face do Homem" (1954, nos estúdios da Atlântida), "Massacre no Supermercado" (1968), "Pais Quadrados ...Filhos Avançados" (1970), "Como Ganhar na Loteria Sem Perder a Esportiva" (1971), "As Borboletas Também Amam" (1979), "Com Jeito Vai" (1957, com Carequinha), "E o Bicho Não Deu" (1958, com Ankito), "Entrei de Gaiato" (1957, com Zé Trindade), "Metido a Bacana" (1957, com Ankito). O cineasta fez seu último filme em 1987, "Os Fantasmas Trapalhões". J. B. Tanko faleceu aos 87 anos, em 6 de outubro de 1993.


Filmografia
1952: Areias Ardentes
1954: A Outra Face do Homem
1956: Com Água na Boca
1956: Sai de Baixo
1957: Com Jeito Vai
1957: Metido a Bacana
1958: E o Bicho Não Deu
1959: Entrei de Gaiato
1959: Garota Enxuta
1959: Mulheres à Vista
1960: Marido de Mulher Boa
1960: Vai Que É Mole
1961: O Dono da Bola
1962: Bom Mesmo É Carnaval
1964: Asfalto Selvagem
1965: Um Ramo Para Luiza
1966: Engraçadinha Depois dos Trinta
1967: Adorável Trapalhão
1967: Carnaval Barra Limpa
1968: Massacre no Supermercado
1970: Pais Quadrados... Filhos Avançados
1971: Como Ganhar na Loteria sem Perder a Esportiva
1971: Rua Descalça
1972: Salve-se Quem Puder
1972: Som Amor e Curtição
1973: Aladim e a Lâmpada Maravilhosa
1974: Robin Hood, O Trapalhão da Floresta
1975: O Trapalhão na Ilha do Tesouro
1976: O Trapalhão no Planalto dos Macacos
1976: Simbad, O Marujo Trapalhão
1977: O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão
1979: As Borboletas Também Amam
1979: Vamos Cantar Disco Baby
1981: Os Saltimbancos Trapalhões
1982: Os Trapalhões na Serra Pelada
1982: Os Vagabundos Trapalhões
1987: Os Fantasmas Trapalhões


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •