A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z


Atriz americana nascida no dia 13 de novembro de 1938, em Marshalltown, Iowa, e radicada na França, tornou-se famosa ao participar do filme "Joana D'Arc" (Saint Joan) em 1957, no papel principal e ao lado de Richard Widmark e John Gielgud, de Otto Preminger. Do mesmo diretor, ela fez "Bom Dia, Tristeza" (Bonjour Tristesse, 1958), ao lado de Deborah Kerr. Embora lançado com grande apelo publicitário, seu personagem da donzela de Orléans, no filme "Joana D'Arc", foi mal recebido pela mídia. Nos últimos anos antes de sua morte Jean Seberg atuara no primeiro filme da série "Aeroporto".

No cinema, Seberg não atingiu, como atriz, a posição de uma Jeanne Moreau, nem de Brigitte Bardot ou outros nomes femininos muito mais conhecidos. Foi, pode-se dizer, uma estrela intermediária, bonita e, quando as personagens exigiam, também muito sensual, como se pode verificar pelo papel que representou em "Os Pássaros Vão Morrer no Peru" (que teve, aqui, outro título), obra baseada no romance do escritor Romain Gary, com quem, na época, era casada. Gary foi seu segundo marido. O primeiro foi François Moreuil, advogado que se tornou diretor cinematográfico (sem êxito). Nenhum dos dois casamentos deu certo.

Dos 20 - ou pouco mais - filmes que rodou, a maioria com histórias simplórias, mal exploradas e geralmente do gênero policial, pode-se incluir, como os mais importantes, "Bom Dia Tristeza", adaptação do "best seller" de Françoise Sagan, e "O Acossado", realizado quando Jean-Luc Godard ocupava o papado da "nouvelle vague" francesa. Foi este, de fato, seu grande êxito como atriz, embora como estrela ela tivesse sido, sempre, uma considerável garantia para o sucesso popular de outras fitas. Mas foi com Godard, realmente, que ela pôde revelar algumas qualidades bem expressivas, compondo a pequena vendedora de jornais americanos, usando o mesmo cabelo curto com que antes, fizera "Santa Joana", seu filme de estreia, escolhida pelo diretor norte-americano Otto Preminger, em 1957, entre 18 mil candidatas para representar Joana D'Arc.

Em 1966, ao rodar "Por um Momento de Amor", dirigida por Mervyn LeRoy e vestindo Yves Saint-Laurent, a estrela afirmou: "Por estranho que pareça, tinha grande desejo de triunfar e de seguir minha carreira nos filmes. Estreara ainda sem maturidade, entre 17 e 18 anos de idade. Durante longo tempo sofri a depressão dessa época, mas aprendi a distinguir que existem muitas classes de películas, e agora, decorridos dez anos, sigo um novo critério e sinto segurança para prosseguir no meu ideal. Meus antigos temores eram infundados. Restituíram-me a confiança e trataram-me com carinho. Escolheram ambientes de bom gosto para o meu primeiro filme americano, realizado em Hollywood, e me arranjaram uma casa fabulosa, com piscina e tudo, durante o tempo em que ficarei aqui. Na verdade, prefiro permanecer nos Estados Unidos. Pretendo continuar atuando em filmes americanos, mas trabalharei na Europa, sempre que solicitada".

Seberg também foi casada com o argelino Ahmed Hasni, tendo corrido o boato que este último pertencia ao grupo terrorista Panteras Negras. Em adiantado estado de gestação na época, a criança veio a nascer morta. A estrela ficou fortemente abalada ao reconhecer-se num personagem do filme "Clair de Lune", do primeiro marido. Foi internada com esquizofrenia e escreveu dois livros sobre o assunto. Tentou jogar-se sobre os trilhos de um metrô de Paris e acabou levando a cabo o suicídio com a ingestão de barbitúricos.

Jean Seberg faleceu aos 40 anos, em 1º de setembro de 1979. As autoridades policiais informaram que ela foi achada dentro do seu automóvel, a 200 metros do apartamento onde morava em companhia do marido, o ator argelino Ashmed Hams, no elegante distrito 15 de Paris. Autora de dois livros, "Blue Jean" - um ensaio sobre a esquizofrenia - e "How top Escape Oneself" (Como Escapar de Si Mesmo), este um manual com instruções para o suicídio, a atriz fez, em sua não longa e nem muito bem sucedida carreira, cerca de 20 filmes.

Veja outra foto de Jean Seberg


Filmografia
1957: Santa Joana/Joana D'Arc (Saint Joan)
1958: Bom Dia, Tristeza (Bonjour Tristesse).....Mais informações
1959: O Rato que Ruge (The Mouse that Roared)
1960: Algemas Partidas (Let No Man Write My Epitaph).....Mais informações
1960: Acossado (À Bout de Souffle)
1961: História de um Amor (Les grandes personnes)
1961: Amante de Cinco Dias (L'amant de cinq jours)
1962: Congo em Fúria (Congo vivo)
1963: Paris, Cidade das Ilusões (In the French Style)
1963: As Maiores Vigaristas do Mundo (Les Plus Belles Escroqueries du Monde)
1964: Lilith (idem)
1964: Ouro, Brilhantes e Morte (Échappement libre)
1965: Como Dar um Grande Golpe (Un milliard dans un billard)
1966: Sublime Loucura (A Fine Madness)
1966: Por um Momento de Amor (Moment to Moment)
1967: Alta Tensão nas Caraíbas (Estouffade à la Caraïbe)
1967: O Espião de Corinto (La route de Corinthe)
1968: Desejo Insaciável (Les oiseaux vont mourir au Pérou)
1968: O Pêndulo (Pendulum)
1969: Acossado (À Bout de Souffle)
1970: Macho Callahan (idem)
1970: Aeroporto (Airport).....Mais informações
1970: Os Aventureiros do Ouro (Paint your Wagon).....Mais informações
1970: Horas Queimadas (Ondata di calore)
1972: O Atentado (L'Attentat)
1974: Assassino na Cidade (Mousey) - TV


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
Jean Seberg
  Se você gostou, compartilhe esta página no Facebook
• fechar janela •