A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Jeannine Deckers


Ex-freira dominicana de origem belga, tornou-se famosa em 1963 com a canção 'Dominique'. Apelidada Irmã Sorriso, ela conseguiu desbancar Elvis Presley do primeiro lugar das paradas de sucesso nos Estados Unidos. Em 1966, abandonava o hábito e passou a viver com a enfermeira Annie Pescher, tentando repetir o mesmo sucesso, mas em vão. Quando o imposto de renda belga resolveu cobrar o que tinha direito por 'Dominique', iniciou-se uma disputa entre a ex-freira e seu antigo convento dominicano. Alegava que, ao honrar seu voto de pobreza, doara toda a renda ao convento. Os dominicanos, por sua vez, retrucavam que não existia nenhum recibo de doação. O fisco passou a apreender tudo que lhe chegasse às mãos, permitindo apenas o mínimo necessário à sua sobrevivência. Nem a simpatia da Rainha Fabíola foi capaz de apressar o processo.

Jeanne-Paule Marie Deckers nasceu em 17 de outubro de 1933. Entre 1959 e 1966 foi freira dominicana no convento de Fichermont em Waterloo. A música "Dominique" foi gravada originalmente em francês e, posteriormente, uma versão mais comercial em inglês, que esteve nos primeiros lugares dos tops de vendas europeus e americanos, desbancando os Beatles no US Billboard Top 100 em 1963, ficando em 1º lugar. O disco vendeu 3 milhões de cópias. A cantora brasileira Giane gravou, em 1965, uma versão em língua portuguesa de "Dominique". O filme "Soeur Sourire" (Irmã Sorriso/Sister Smile) de 2009 de Stijn Coninx é um retrato de sua história. Seu lado mais sombrio pode ser visto no filme de mesmo nome de 2001 do diretor americano Roger Deutsch. Dominique também foi tema recorrente em American Horror Story sempre que apareciam cenas no salão comum do convento briarcliff.

Num pacto de morte, Jeannine dividiu com sua melhor amiga uma mistura de álcool e barbitúricos. Sua biografia foi transportada para o cinema, 'Dominique' (The Singing Nun), em 1966, com Debbie Reynolds no papel-título. Após o lançamento do filme, a irmã Luc-Gabrielle saiu do convento e tentou manter sua carreira musical, desta vez sob o seu verdadeiro nome - Jeannine Deckers. Ela gravou um compacto de protesto, "Glória a Deus para a pílula dourada", um hino ao controle de natalidade. Ela abraçou a sexualidade lésbica e foi perseguida pelo governo belga, devido aos impostos não pagos relativos a essa canção. Os problemas com drogas complicaram as coisas ainda mais. Em 1985, Jeannine e sua parceira de 10 anos, Annie Pécher, cometeram suicídio. Deckers e Pécher foram enterradas juntas. Ela morreu aos 52 anos, em 1º de abril de 1985.

BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •
Jeannine Deckers e Annie Pécher