A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z


Nascido Henry Herman McKinnies, Jr. em New Orleans, Luisiana, no dia 25 de novembro de 1926, Hunter era filho único de um casal da classe média americana. A família mudou-se para Milwaukee em 1930 e, enquanto estudava no ginásio, Hunter já atuava na emissora de rádio local. De lá, foi um pulo para o cenário teatral de Chicago. Ele serviu a marinha americana no ano de 1945 e depois continuou os estudos na Universidade Northwestern, em Illinois, entre 1946 e 1949 e chegou a fazer pós-graduação em rádio na Universidade da Califórnia em Los Angeles, entre 1949 e 1950.

Nesta época, Hank queria independência e pagar seus estudos, logo, aproveitando seus apolíneos dotes, fazia trabalhos como modelo fotográfico e locutor de rádio, quando foi notado por um executivo de Hollywood. Feito seus primeiros testes cinematográficos, foi aprovado. Tanto o estúdio da Warner Brothers quanto a 20th Century Fox estavam de olho no belo e iniciante ator de olhos azuis. Em Hollywood, acabou assinando contrato com 20th Century Fox, e escolheu seu nome artístico para Jeffrey Hunter (se desconhece os motivos por que adotou este nome artístico). Sua beleza máscula e porte (1,83m), logo o levaram a tornar-se um dos ídolos do público feminino na década de 1950.

Inicialmente, seus papéis eram de galãs juvenis em filmes considerados "água com açúcar", mas rapidamente passou para papéis mais maduros, fossem como cowboys, ou soldados em filmes de guerra e aventura. Teve oportunidades em algumas peças teatrais e um pequeno papel no cinema, em "Julius Caesar", estrelado por Charlton Heston em 1949. O ator fez um teste para a Paramount mas acabou sendo contratado pela 20th Century Fox, onde estreou com o filme "Horas Intermináveis", a mesma produção de estreia de Grace Kelly.

Ao longo das duas décadas seguintes, Hunter, um belo ator, de apolínea beleza e olhos azuis, mostraria sua versatilidade numa série de filmes dramáticos, de guerra, comédias, faroestes e ficção científica. Casou-se com a atriz Barbara Rush em 1950, tiveram um filho, Christopher, e divorciaram-se em 1955. Mesmo separados, Rush guardou ótimas recordações do ator e sempre considerou-o o homem mais belo de suas relações. Em 1957, Hunter casou-se com a modelo Joan Bartlett e separaram-se em 1967.

Foi em 1956, durante as filmagens de "Um Beijo Antes de Morrer" (A Kiss Before Dying), que Jeffrey Hunter conheceu sua segunda esposa, Joan Bartlett (1928-2005). A modelo, que serviu de dublê durante o filme, teve grande influência sobre o futuro da carreira do ator, pois a levou a gerenciar sua carreira como uma agente, levando inevitavelmente a seu trágico e prematuro final.

Os dois se casaram a 7 de julho de 1957. Hunter, de início, estava muito feliz com o casamento (que daria a ele mais dois filhos, Todd e Scott), chegando até a adotar um dos filhos da modelo de seu casamento anterior, e mais tarde, na vida artística, o rapaz assumiu o nome de Steele Hunter (com ele, passaram a ser quatro as crianças na casa: Christopher, filho do primeiro casamento de Jeffrey, Steele, do primeiro casamento de Bartlett, e Herman e Scott, do casal). A felicidade matrimonial levou o ator ao seu papel mais importante, em 1961: interpretar ninguém menos que o líder da cristandade, em "Rei dos Reis".

Em 1961, Hunter foi escolhido para o papel de Jesus Cristo no filme "O Rei dos Reis", considerado um desafio para sua carreira. Segundo o diretor Nicholas Ray, o roteiro foi aprovado previamente pelo Vaticano. Em 1963, Hunter participou de um seriado para a televisão, "Temple Houston". No ano seguinte, recusou o papel do Capitão Christopher Pike da nave U.S.S. Enterprise, para o piloto da série para televisão "Jornadas nas Estrelas". Durante os anos seguintes, ele atuou em diversas produções europeias e asiáticas. Destacou-se em películas como "Rastros de ódio" (The Searchers), de John Ford, ao lado de John Wayne, e "Do Inferno para a Eternidade" (Hell to Eternity), de Phil Karlson.

Jeffrey Hunter chegou ao auge de sua fama em alguns dos grandes clássicos do cinema, muitos deles reverenciados por cinéfilos de todo mundo. "Rastros de Ódio", clássico do Western dirigido pelo mestre John Ford (1895-1973), em 1956, e rodado nas locações no Monument Valley, no Utah, região preferida do cineasta para seus inúmeros westerns, atuando lado do "Duke" John Wayne (1907-1979). "Quando chegou a minha vez de disparar tiros em "Rastros de Ódio", me deram quase tanta munição como deram a John Wayne" - disse o ator na época.

Em 1958, outra parceria entre Hunter e o cineasta Ford, no clássico "O Último Hurrah", de 1958, onde teve a honra de contracenar com o competente e talentoso monstro sagrado das telas, Spencer Tracy (1900-1967), um drama político onde Jeffrey desempenha um jornalista que ajuda na reeleição do tio (interpretado por Tracy) à prefeitura de sua cidade. Logo em seguida, Ford escala Hunter para o papel principal de seu Western anti-racista, "Audazes e Malditos", em 1960, no papel de um Oficial da Cavalaria Americana, que defende seu subordinado sargento negro (Woody Strode, 1919-1994) numa corte-marcial, acusado de um crime sórdido que não cometera.

Depois do papel em "Rei dos Reis", as coisas começaram a piorar na vida familiar do ator. Bartlett decidiu que seria a responsável pela administração da carreira de seu marido e escolheria quais papéis ele deveria ou não fazer. E a modelo decidiu que ele definitivamente era um astro de cinema, não de televisão, a qual ela considerava um veículo menor e desprezível. Joan queria seu marido como um verdadeiro "Astro de Hollywood" na concepção da frase, no calibre de um Clark Gable, de um James Stewart, de um William Holden, ou a de Gary Cooper, coisa que Hunter, definitivamente, jamais foi, isto é, um astro de primeira grandeza na meca do cinema.

O ator começou a fazer filmes de calibre cada vez menor, e seu nome foi desaparecendo da lista dos potenciais astros de Hollywood. Simultaneamente, o plano pessoal parecia cada vez mais insuportável. As pressões da mulher e a crise familiar levaram o ator à bebida. Após várias crises que beiravam casos de polícia, em 28 de fevereiro de 1967, Hunter e Bartlett se separaram. Com várias oportunidades perdidas nos Estados Unidos, depois do segundo divórcio, Jeffrey Hunter foi para Europa trabalhar em filmes de baixo orçamento, muitos deles "western spaghetti", trabalhos que nada ajudariam na reabilitação de sua carreira.

Em 1969, o ator casou-se com a atriz Emily McLaughlin. Nesse mesmo ano, enquanto filmava "Viva America" na Espanha, Hunter acidentou-se numa explosão no local de filmagens. Socorrido prontamente, não sofreu danos aparentes. Entretanto, ao voltar para Los Angeles, ele teve uma hemorragia cerebral e sofreu uma queda na escadaria de sua residência. Submetido a uma cirurgia de emergência, não resistiu e faleceu aos 42 anos, em 27 de maio de 1969.

Veja outra foto de Jeffrey Hunter


Filmografia
1950: Júlio Cesar (Julius Caesar)
1951: Minha Cara Metade (Call Me Mister)
1951: Horas Intermináveis (Fourteen Hours)
1951: Os Homens Rãs (The Frogmen)
1952: O Gênio da Televisão (Dreamboat)
1952: A Família do Gênio (Belles on their Toes).....Mais informações
1952: Montanhas Ardentes (Red Skies of Montana/Smoke Jumpers)
1952: Um Grito no Pântano (Lure of the Wilderness)
1953: Marinheiro do Rei (Single-Handed)
1953: A Marcha Triunfal (Stars and Stripes Forever)
1954: A Princesa do Nilo (Princess of the Nile)
1954: Roleta Fatal (Three Young Texans)
1955: A Lei do Bravo (White Feather)
1955: 7 Homens Enfurecidos (Seven Angry Men)
1956: Têmpera de Bravos (The Great Locomotive Chase)
1956: As Sete Cidades de Ouro (Seven Cities of Gold).....Mais informações
1956: À Borda da Morte (The Proud Ones)
1956: Amor, Prelúdio de Morte (A Kiss Before Dying)
1956: Rastros de Ódio (The Searchers).....Mais informações
1957: Três Encontros com o Destino (In Love and War)
1957: Arma para um Covarde (Gun for a Coward).....Mais informações
1957: Quem Foi Jesse James (The True Story of Jesse James).....Mais informações
1957: A Mulher do Próximo (No Down Payment)
1957: Conte 5 e Morra (Count Five and Die)
1958: O Último Hurrah (The Last Hurrah)
1958: Três Encontros com o Destino (In Love and War)
1960: A Testemunha Chave (Key Witness)
1960: Do Inferno para a Eternidade (Hell To Eternity).....Mais informações
1960: Audazes e Malditos (Sergeant Ritledge)
1961: O Rei dos Reis (King Of Kings)
1961: Beco Sem Saída (Man-Trap)
1962: À Beira do Abismo/À Beira do Inferno (No Man Is an Island)
1962: O Mais Longo dos Dias (The Longest Day).....Mais informações
1963: O Homem de Galveston (The Man from Galveston)
1964: A Morte de Um Pistoleiro (Joaquim Murieta)
1964: Ouro para os Césares (Gold for the Caesars)
1964: Jornada nas Estrelas - Como Tudo Começou (Star Trek - The Cage)
1965: A Cabana do Pai Tomás (Onkel Toms Hütte) - voz
1965: Amor Violento (Brainstorm)
1966: Dimensão 5 (Dimension 5)
1967: Diário de um Homem Casado/Maridos em Férias (A Guide for the Married Man).....Mais informações
1968: Condenado à Forca (The Christmas Kid)
1968: Os Bravos Não se Rendem/General Custer do Oeste (Custer of the West)
1968: O Marujo Tremendão (The Private Navy of Sgt. O'Farrell).....Mais informações
1968: Face a Face com o Diabo (Joe... cercati un posto per morire!)
1968: Na Corte de Sua Majestade - Deliciosos Pecados (Frau Wirtin hat auch einen Grafen)
1969: O Poderoso Frank Mannata (¡Viva América!)


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
Jeffrey Hunter
  Se você gostou, compartilhe esta página no Facebook
• fechar janela •