A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z


Uma das mais controversas estrelas da era de ouro de Hollywood, Joan Crawford foi o maior ícone da Metro-Goldwyn-Mayer na década de 30. Em 1945 se transferiu para a Warner Bros. – casa de sua maior rival Bette Davis, para protagonizar "Almas em Suplício". A adaptação do livro "Mildred Pierce" rendeu a Crawford seu primeiro Oscar de melhor atriz. Ela seria indicada por outras duas oportunidades por "Fogueira de Paixões/Possuída" (Possessed) e "Precipícios da Alma" (RKO, Sudden Fear), em 1947 e 1952 respectivamente.

Em 1962 o diretor Robert Aldrich conseguiu o inimaginável, juntar as rivais Davis e Crawford em um mesmo filme: o thriller psicológico "O Que Terá Acontecido a Baby Jane?" Sucesso de crítica, o aclamado longa foi indicado a cinco prêmios Oscar – venceu na categoria figurino, incluindo melhor atriz para Bette. Fato que deixou a temperamental Joan, esnobada pela Academia, revoltada.

Crawford nasceu em San Antonio, Texas, no dia 23 de março de 1904, seu primeiro sucesso no cinema mudo foi com "Garotas Modernas" (Our Dancing Daughters), em 1928. Ganhou o Oscar em 1945 com o filme "Almas em Suplício" (Mildred Pierce), cujo papel, curiosamente, havia sido oferecido antes a Bette Davis e Barbara Stanwyck, que o recusaram. Crawford fez par romântico com Clark Gable em oito filmes. Na Broadway, foi corista em "Innocent Eyes", estrelada pela célebre Mistinguette. Permaneceu contratada pela Metro entre 1925 e 1943.

Na década de 30, Joan era a atriz mais imitada de Hollywood. As enormes mangas de organdie, cabelos revoltos, chapéus caindo sobre o olho direito, lábios grossos e rubros, pele queimada pelo sol, calças curtas, gardênias, ausência de meias, sandálias, nariz reluzente, unhas berrantes, unhas sem pintura, sobrancelhas ao natural, a estrela foi a criadora da moda de uma época. Em todo o mundo as mulheres copiavam seu modo de andar, seu modo de vestir, de pintar os lábios, o penteado. As heroínas dos filmes de Joan eram femininas, sedutoras, enérgicas e decididas. Uma combinação irresistível que impulsionava suas fãs ao desejo de se pareceram com ela na vida real.

A estrela participou de 22 filmes mudos e 59 sonorizados. Chegou a casar-se com os atores Douglas Fairbanks Jr., Franchot Tone e Philip Terry. Em 1955, voltou a contrair núpcias, desta vez com o presidente da Pepsi-Cola, Alfred Steele, e abandonou a carreira para se dedicar aos negócios. Com a morte do marido, foi eleita presidente da companhia. Em fins da década de 50, voltou ao cinema novamente, contracenando ao lado de Bette Davis, sua grande rival, em "O que Terá Acontecido a Baby Jane?" (What Ever Happened to Baby Jane?).

Após esse filme ela aposta todas as fichas no gênero de horror e faz uma série de filmes na mesma linha. É possível reconhecer um "quê" de filme B na maioria deles que é o motivo de crítica pela maior parte do público. Mas uma coisa é certa: independente do orçamento do filme e de sua qualidade, ela sempre está totalmente entregue e com a mesma dedicação que apresenta em "Mildread Pierce". Seu último trabalho foi no filme de horror trash "Trog" (1971), hoje considerado um clássico cult para os amantes do gênero.

Lucille Fay Le Sueur, seu nome de batismo, teve a biografia publicada pela filha adotiva, Christina, repleta de passagens escabrosas da época em que viviam juntas. Foi posteriormente adaptada para o cinema, com Faye Dunaway no papel principal: "Mamãezinha Querida" (Mommie Dearest), tendo o livro vendido, só nos Estados Unidos, três milhões de exemplares em 1978. Muitos críticos e historiadores de cinema consideram uma tragédia irreparável o que aconteceu com sua imagem após o livro de Christina. Mas como ela mesmo disse uma vez: "Meus filmes sempre existirão".

Sua filha Christina – a primeira das quatro crianças adotadas pela estrela, lançou o polêmico livro, revelando os bastidores de sua tumultuada relação com a famosa mãe. Joan Crawford fora revelada como uma mulher descontrolada, abusiva e que se refugiava dos problemas no álcool e nas agressões a seus filhos, principalmente a primogênita. Faye Dunaway aceitou o desafio de viver Joan Crawford na polêmica adaptação. Faye ficou devastada ao ter seu trabalho destruído pelos críticos que a classificaram e o filme como exagerado e de mau gosto. O fracasso artístico de "Mamãezinha Querida" deixou sequelas graves na carreira de sua protagonista Faye Dunaway, que até hoje não gosta de falar sobre o filme.

Joan adotou Christina em 1939 com algumas semanas de vida; quatro anos depois adotou o garoto Christopher e, em 1947, duas gêmeas, Cathy e Cynthia. Joan esteve em visita ao Brasil em três ocasiões diferentes, vindo a falecer aos 69 anos, em 10 de maio de 1977. Joan morreu depois de uma longa luta contra um câncer no pâncreas, ela tinha acabado de fazer café da manhã para uma de suas fãs leais que tinha passado a noite cuidando dela e sua empregada. Enquanto elas comiam Joan se retirou para o quarto para descansar, sua empregada ouviu um barulho e, ao chegar no quarto, viu que ela estava morrendo e começou a rezar. Joan olhou pra ela e disse: "Não ouse pedir a Deus pra me ajudar!" e morreu na manhã de 10/05/1977.

Veja mais fotos de Joan Crawford: Foto 01 | Foto 02


Filmografia
1925: A Mosca Negra (Pretty Ladies)
1925: Jornada Romântica (Proud Flesh)
1925: Escrava do Luxo (A Slave of Fashion)
1925: A Viúva Alegre (The Merry Widow)
1925: A Mulher do Outro (The Circle)
1925: Roupa Velha (Old Clothes)
1925: Bodas Reais (The Only Thing)
1925: Sally, Irene e Mary (Sally, Irene and Mary)
1925: Ben-Hur (Ben-Hur: A Tale of the Christ)
1926: O Andarilho (Tramp, Tramp, Tramp)
1926: O Cavalheiro Pirata (The Boob)
1926: Uma Aventura em Paris (Paris)
1927: Espadas e Corações (Winners of the Wilderness)
1927: Dançarina por Aluguel (The Taxi Dancer)
1927: Coração Compatível (The Understanding Heart)
1927: O Pirata Amoroso (Twelve Miles Out)
1927: Prestígio Social (Spring Fever)
1927: Academia de Cadetes (West Point)
1927: O Monstro do Circo (The Unknown).....Mais informações
1928: Garotas Modernas (Our Dancing Daughters)
1928: A Lei do Deserto (The Law of the Range)
1928: Rosa Maria (Rose-Marie)
1928: Procelas do Coração (Across to Singapore)
1928: Entre Quatro Paredes (Four Walls)
1928: Sonho de Amor (Dream of Love)
1929: O Novo Campeão (The Duke Steps Out)
1929: Donzelas de Hoje (Our Modern Maidens) 1929: The Hollywood Revue de 1929
1929: A Indomável (Untamed)
1930: Noivas Ingênuas (Our Blushing Brides).....Mais informações
1930: Mulher... E Nada Mais (Montana Moon)
1930: A Mulher que Perdeu a Alma (Paid)
1931: A Possuída (Possessed)
1931: Almas Pecadoras (Laughing Sinners).....Mais informações
1931: Quando o Mundo Dança (Dance, Fools, Dance)
1931: Neste Século XX (This Modern Age)
1931: Redimida (Letty Lynton)
1932: O Pecado da Carne (Rain).....Mais informações
1932: Grande Hotel (Grand Hotel).....Mais informações
1933: Vivamos Hoje (Today We Live)
1933: Amor de Dançarina (Dancing Lady).....Mais informações
1934: Acorrentada (Chained)
1934: Três Amores (Sadie McKee)
1934: Quando o Diabo Atiça (Forsaking All Others)
1935: Só Assim Quero Viver (I Live My Life)
1935: Adeus Mulheres (No More Ladies)
1936: Do Amor Ninguém Foge (Love on the Run).....Mais informações
1936: Mulher Sublime (The Gorgeous Hussy).....Mais informações
1937: Felicidade de Mentira (The Bride Wore Red)
1937: A Última Conquista (The Last of Mrs. Cheyney)
1938: A Mulher Proibida (The Shining Hour)
1938: Manequim (Mannequin).....Mais informações
1939: Folia no Gelo (Ice Follies of 1939)
1939: As Mulheres (The Women).....Mais informações
1940: Almas Rebeldes (Strange Cargo).....Mais informações
1940: Uma Mulher Original (Susan and God).....Mais informações
1941: Um Rosto de Mulher (A Woman's Face).....Mais informações
1941: De Mulher para Mulher (When Ladies Meet)
1942: Eles Beijaram a Noiva (They All Kissed the Bride).....Mais informações
1942: Uma Aventura em Paris (Reunion in France)
1943: Os Insuspeitos (Above Suspicion)
1944: Um Sonho em Hollywood (Hollywood Canteen)
1945: Almas em Suplício (Mildred Pierce).....Mais informações
1946: Acordes do Coração (Humoresque).....Mais informações
1947: Êxtase de Amor (Daisy Kenyon).....Mais informações
1947: Fogueira de Paixões/Possuída (Possessed).....Mais informações
1949: Caminho da Redenção (Flamingo Road).....Mais informações
1950: Os Desgraçados Não Choram (The Damned Don't Cry)
1950: A Dominadora (Harriet Craig).....Mais informações
1951: Adeus, Meu Amor (Goodbye, My Fancy)
1952: Precipícios d'Alma (Sudden Fear).....Mais informações
1952: A Tragédia do Meu Destino (This Woman is Dangerous)
1953: Se eu Soubesse Amar/Tudo Por Uma Canção (Torch Song)
1954: Johnny Guitar (idem).....Mais informações
1955: Frenesi de Paixões (Female on the Beach)
1955: Os Amores Secretos de Eva (Queen Bee).....Mais informações
1956: Folhas Mortas (Autumn Leaves).....Mais informações
1957: A Donzela de Ouro (The Story of Esther Costello).....Mais informações
1959: Sob o Signo do Sexo (The Best of Everything).....Mais informações
1962: O que Terá Acontecido a Baby Jane? (What Ever Happened to Baby Jane?).....Mais informações
1963: Almas nas Trevas (The Caretakers)
1964: Almas Mortas (Straight-Jacket)
1964: Fatal Confinement
1965: Eu Vi que Foi Você (I Saw What you Did).....Mais informações
1967: Espetáculo de Sangue (Berserk!).....Mais informações
1969: Retrato de um Pesadelo (Night Gallery)
1970: Trog, o Monstro da Caverna (Trog).....Mais informações


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
Joan Crawford
  Se você gostou, compartilhe esta página no Facebook
• fechar janela •