A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Jofre Soares


Artista nascido na cidade alagoana de Palmeira dos Índios, chegou a participar de 85 filmes nacionais e tornou-se um dos símbolos do cinema novo. Antes, foi oficial da Marinha por 25 anos em sua cidade natal. Sem formação de ator, sua carreira artística começou em 1961, aos 43 anos. Soares já tinha se aposentado como marinheiro e se dedicava ao teatro amador e ao circo da cidade, no qual era um palhaço, quando o cineasta Nélson Pereira dos Santos o conheceu e o convidou para fazer o filme "Vidas Secas", a bem-sucedida versão do romance de Graciliano Ramos para as telas. Ele costumava dizer que Nélson Pereira o reconduziu à vida ao incorporá-lo ao elenco do filme. Soares logo despertou a atenção da crítica, trabalhando com diretores como Glauber Rocha e Cacá Diegues, entre outros. Espontâneo e instintivo, seu tipo físico de nordestino se ajustava ao perfil cênico do homem do interior, simples, meio rude, meio fechado, pobre e digno ou, também, rico e cruel. Em ambas as composições, costumava se sair bem e valorizava seus personagens.

Na televisão, Jofre Soares participou de diversas telenovelas, entre elas, "BetoRockfeller", "Renascer", "O Todo Poderoso" (Bandeirantes, 1979) "Paraíso", escrita por Benedito Ruy Barbosa para a Rede Globo. Com seu jeito calmo, de fala arrastada, viveu o papel de Antero Godói, contracenando ao lado de Eloísa Mafalda. Soares sentia-se perfeitamente à vontade, numa caracterização que parecia inerente à sua própria pessoa. Sua última atuação foi em "As Pupilas do Senhor Reitor", pelo SBT.

Nos palcos, trabalhou ao lado de Sandra Pêra na comédia teatral "A Feira do Adultério", de Jô Soares e montada no Teatro Brasileiro de Comédia (TBC) em São Paulo. Fez também "Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come", de Oduvaldo Vianna Filho. Nos últimos meses, Soares se dedicava à peça "Memórias de um Sargento de Milícias", em cartaz no Teatro e Cine Café Jofre Soares, inaugurado em sua homenagem quatro meses antes de sua morte, em São Paulo. Sua última participação no cinema foi em "O Cangaceiro", de Anibal Massaini, onde fazia o papel de um sertanejo. Soares faleceu aos 77 anos, em 19 de agosto de 1996.


Filmografia
Na primeira foto abaixo, Jofre Soares com José Lewgoy em "Terra em Transe", e na segunda, em "Guerra Conjugal"

1961: Vidas Secas
1965: A Hora e a Vez de Augusto Matraga
1967: Terra em Transe
1967: El ABC del Amor
1968: A Madona de Cedro
1968: Maria Bonita, Rainha do Cangaço
1968: O Homem Nu
1968: Panca de Valente
1969: O Profeta da Fome
1971: A Guerra dos Pelados
1974: O Amuleto de Ogum
1974: O Trote dos Sádicos
1974: As Cangaceiras Eróticas
1974: Sagarana: O Duelo
1974: Exorcismo Negro
1974: O Jeca Macumbeiro
1974: A Noiva da Noite
1975: O Predileto
1975: Guerra Conjugal
1976: Fogo Morto
1976: Crueldade Mortal
1977: O Menino da Porteira
1977: O Crime do Zé Bigorna
1977: Morte e Vida Severina
1977: A Tenda dos Milagres
1977: O Jogo da Vida
1977: Quem Matou Pacífico?
1977: Cordão de Ouro
1978: Chuvas de Verão
1979: Coronel Delmiro Gouveia
1979: Bye Bye Brasil
1979: O Bom Burguês
1979: O Guarani
1980: O Caçador de Esmeraldas
1980: Amor e Traição
1983: Águia na Cabeça
1984: O Filho Adotivo
1984: Quilombo
1984: Memórias do Cárcere
1984: Os Trapalhões e o Mágico de Orós
1986: Por Incrível que Pareça
1989: Dias Melhores Virão
1994: A Terceira Margem do Rio
1996: Baile Perfumado
1997: O Cangaceiro


BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •
Jofre Soares em "Crueldade Mortal" (1976)