A

B

C

D

E

F

G

H

I

J

K

L

M

N

O

P

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z

Johnnie Ray


Cantor norte-americano de música popular, conquistou a fama a partir da década de 50 ao gravar a música "Cry", considerada pela crítica sua melhor interpretação e que valeu-lhe um sucesso estrondoso. Cerca de um milhão de cópias foram vendidas nas primeiras oito semanas, um milhão e meio até fevereiro de 1952 e, em junho, a demanda chegou a dois milhões. Seria esse o primeiro dos três discos de ouro da carreira do cantor. Em programas como "Ritmos do Tio Sam" e "Midnight Serenade", as rádios brasileiras consagravam as músicas de Ray, entre elas, "Just Walking in the Rain". Em 1952, Ray fez seu primeiro milhão de dólares, com seu nome e sua figura estampados nas mais importantes e prestigiosas publicações americanas: Newsweek, New York Times, Time, Life. Só nesse primeiro ano, foram vendidos 6 milhões de seus discos.

Ray era natural de Rosebud, no Oregon. Aos 12 anos ficou meio-surdo por causa de uma queda, quando brincava com seus colegas. Ao saltar de uma espécie de cobertor elástico, bateu com a cabeça no chão. Só quatro anos mais tarde recebeu atendimento médico adequado, mas seus problemas auditivos jamais seriam totalmente resolvidos. Sua formação como intérprete deu-se através dos discos de Bessie Smith, Ivie Anderson, Duke Ellington, Herb Jeffries, Billie Holiday e outros grandes nomes da canção americana. Muito prestigiado por Elvis Presley, Buddy Holly e Gene Vincent, Ray era considerado o precursor do rock n'roll nos Estados Unidos. Johnnie Ray faleceu aos 63 anos, em 24 de fevereiro de 1990.

Ray foi preso duas vezes por solicitar os homens para sexo. Ele calmamente se declarou culpado e pagou uma multa após a primeira prisão, no banheiro do Stone Theatre Burlesque House em Detroit, pouco antes do lançamento de seu primeiro disco em 1951. O incidente não foi relatado nos jornais, e muito poucas pessoas fora de Detroit sabiam sobre o incidente durante a sua súbita ascensão ao estrelato em 1952. Ray foi a julgamento após a segunda prisão, em 1959, também em Detroit, por solicitar um policial disfarçado em um bar chamado Brass Rail, que tinha o costume de atrair músicos viajantes e homossexuais. Ele não foi considerado culpado.

Apesar de seu conhecimento da detenção em 1951, Marilyn Morrison, filha do dono da boate Mocambo, em West Hollywood, Califórnia, casou-se com Johnnie Ray em 1952. A cerimônia de casamento aconteceu em Nova York, pouco tempo depois de dar seu primeiro concerto na cidade, que aconteceu no Copacabana. O prefeito de Nova York, Vincent R. Impellitteri, participou da cerimônia, que atraiu muito a atenção do público através da capa do New York Daily News. Morrison estava ciente da sexualidade do cantor desde o início, dizendo a uma amiga que iria "endireitá-lo". O casal se separou em 1953 e se divorciaram em 1954.

BR Busca JS - Busca
Banco de Dados
Para uma resposta mais rápida, utilize aspas na consulta, exceto quando tiver dúvida com relação à grafia do nome
• fechar janela •